A família Shaftesbury tem pelo menos três personagens importantes para a promoção da democracia:

1) o primeiro conde Shaftesbury (1621-1683), que foi presidente do Conselho em 1679 onde apresentou projeto de lei que destituía Jaime I do cargo de rei;

2) o terceiro conde, com o mesmo nome de Antônio Ashley Cooper (1671-1713), que escreveu obras como “Senso comum, um ensaio sobre a liberdade de espírito e do humor” (1709) e “Sobre o entusiasmo” (1707), que se inspirou no neoplatonismo de Cambridge, tendo influenciado Schleiermacher, Lessing, Kant, Goethe, Herder, Hutcheson e outros. Li as “Cartas” deste Shafterbury, quando tinha cerca de 20 anos, acho que peguei a obra na Biblioteca do Ministério da Justiça, que, na época, fazia empréstimos; e

3) o sétimo conde, com o mesmo nome (1801-1885), que defendeu leis trabalhistas (brigou pelo limite de dez horas diárias já em 1832), leis favoráveis aos alienados (doentes mentais) etc e que foi citado inclusive por Karl Marx. Este Ashley foi elogiado por Marx, pois lutou a favor dos trabalhadores, tendo seu mérito.

Os três eram cristãos, acho que anglicanos, e deram sua contribuição para a democratização do mundo. 

Comentários estão fechados.

Pular para a barra de ferramentas