Um grande jurista católico e pernambuco, Luís Pinto Ferreira, no livro “Teoria geral do Estado” (Saraiva, São Paulo, 1973, pp. 560-561), defendeu uma forma de socialismo cristão e democrático. Vejamos:

A própria ideologia cristã, depositária da rica sementeira dos ideais de liberdade e igualdade, na sua crítica aos fundamentos da sociedade burguesa, feita por Maritain, Ducatillon, Bernanos, alude a uma “democracia personalista e cristã”, colimando uma superação espiritual da atual divisão em classes. Aquilo mesmo que Marx reputava como o destino da história da humanidade, pregando em seus Das Kapital e Zur Kritik der politischen Oekonomie, ser a chamada sociedade sem classes (klassenlose Gesellschaft) a própria finalidade da história, é o verdadeiro pensamento de Maritain, quando em L’Humanisme Intégral pretende magistralmente a realização de uma “sociedade sem burguesia e sem proletariado, com fundamento cristão e personalista.

“Essa democracia socialista será de fato a majestosa realidade da pureza evangélica da filosofia cultural do cristianismo, será uma democracia humanista, a primeira floração real da expressão política do cristianismo”.

Resumindo a lição do grande jurista católico e socialista, Luís Pinto Ferreira – queremos uma sociedade com mediania, IGUALDADE SOCIAL, sem proletarização, com difusão maciça da micro e pequena propriedade camponesa, renda básica para todos, casas para todos, carros elétricos, amplo sistema de transporte público etc.

Tudo isso SEM a grande burguesia, ou seja, sem grandes proprietários particulares, sem o grande capital e sem latifúndios. MEDIANIA e AMPLO ESTADO SOCIAL controlado pelo povo, pelos trabalhadores. 

Estas poucas linhas resumem bem o projeto da Igreja. 

Comentários estão fechados.

— Updated: 13/02/2020 — Total visits: 64,941 — Last 24 hours: 26 — On-line: 0
Pular para a barra de ferramentas