Arquivos para : A ação de espionagem da CIA, da NSA, do FBI, MI 6, Mossad, do DEA e outras agências, no Brasil, em apoio ao imperialismo. O Grande Olho do Mal

Os paneleiros manipulados pela GloboCIA e Fiesp

A antiga e boa tradição democrata popular da Igreja é enfrentada pelos pastores milionários neoliberais, ligados a CIA e ao grande capital

A linha democrática popular da Igreja também brilhou na luta dos poloneses e dos irlandeses. Por exemplo, na luta de Daniel O´Connell (1775-1847).

O´Connell foi chamado “o grande Agitador”, o “Libertador” da Irlanda, tendo sido aluno dos jesuítas, advogado (jurista mesmo), tribuno, jornalista, escritor, fundador de clubes políticos, deputado, especialista em comícios e lutas políticas.

O´Connell deixou obras como “Memórias sobre a Irlanda” e foi elogiado por grandes sacerdotes como Lacordaire, o padre Ventura d´Raulica e mesmo por Karl Marx.

A combatividade do leigo O´Connell foi exemplar, marcando toda a luta dos irlandeses, especialmente dentro dos EUA, contra o imperialismo inglês e por democracia. Também influenciou a Renânia católica, na Alemanha.

O´Connell conseguiu forçar o governo inglês a decretar a emancipação dos católicos irlandeses, em 1829. No fundo, foi a linha continuada pelo Cardeal Jaime Gibbons, nos EUA, amigo de Joaquim Nabuco.

A Igreja condenou o liberalismo, a “ideologia do capitalismo” (cf. Paulo VI), mais vezes do que condenou o “comunismo” (no sentido de estatização total da economia, pois a doutrina da Igreja ensina que os grandes bens de produção devem ser estatais ou cooperativas).

A doutrina da Igreja defende as idéias que, unidas, formam o corpo teórico de uma democracia popular, não-capitalista, cooperativa, social.

Enquanto a linha social da Igreja foi reforçada, os capitalistas e as multinacionais derramaram dinheiro para financiar igrejas neopentecostais defensoras da “teologia da prosperidade”. Estas idéias estão ligadas à “Maioria Moral” nos EUA, a lideranças capitalistas como Jerry Falwell (na Virgínia), que formam o maior grupo do Partido Republicano nos EUA (a extrema direita). E Pat Robertson, guru dos pastores milionários neoliberais do Brasil (Malafaia e outros). 

Jerry Falwell, CIA, Adam Ulam, Sarah Palin, Richard Pipes, Hayek, Milton Friedman, Jimmy Swaggart, Ralph Reed, Reverendo Moon, Rex Humbard e outros autores estão na mesma trincheira, a trincheira do liberalismo, das multinacionais, do grande capital, dos trustes e cartéis.

A Igreja Universal, de Edir Macedo, com a Rede Record, é apenas uma cópia da Coalização Cristã e da CBN (“Christian Broadcasting Network”), nos EUA, sendo também continuação do “modus operandi” da CIA apoiando a Seita Moon etc. 

O PSTU aplaudiu o golpe na Líbia, a destruição do Iraque, as tentativas de golpe na Venezuela etc. Fazer coro com o imperialismo é cumplicidade

Resultado de imagem para charges contra bancos

Recomendo o livro “Sem lugar para se esconder”, de Glenn Greenwald

Glenn Greenwald escreveu o livro “Sem lugar para se esconder” (Rio, Ed. Sextante, 2014), que recomendo. Descreve como o “Big Brother is watching You” (diga “oi” para o Grande Olho do Mal…rs).

Especialmente a NSA (National Security Agency) coleta trilhões de dados, a cada dia, para vigiar todo mundo.

Esta espionagem maciça e massiva não é para promover o bem comum, e sim para defender um punhado de bilionários asquerosos.

CIA e NSA atuam como cãozinhos dos ricos, papel asqueroso.

Deixam morrer milhões de pessoas fracas, para defender os bilhões de um punhadinho de nababos (que morrem empapados com o sangue do povo). 

NSA, o Grande Olho do grande capital

Resultado de imagem para charges contra a CIA

Uma imagem para lembrar da CIA golpista barata

Resultado de imagem para charges contra a CIA

O golpe foi engendrado na velha Fábrica de golpes baixos e de mentiras

Imagem relacionada

A recompensa dos patos da Fiesp. Os frutos do golpe baixo

Imagem relacionada

A ação da CIA e da ANS, no Brasil, em apoio ao imperialismo

Colhi no 247 – “Jornalista Mauro Santayana que pela maior autonomia econômica nos 13 anos dos governos Lula e Dilma, e pela inclusão social, o Brasil “sofreu um ataque coordenado, ideológico e canalha, de inimigos internos e externos”; “Primeiro, com a revelação do escândalo de espionagem do país e do governo, e empresas que depois seriam, coincidentemente acusadas de corrupção, como a Petrobras, por parte de governos estrangeiros”, diz; “Depois, por meio de um golpe iniciado com manifestações financiadas de fora do país, desde a época da Copa do Mundo, e de uma ampla campanha de sabotagem midiática e de operações de contra-informação permanentes, financiadas e coordenadas em muitos casos de fora do país”; leia a íntegra da análise”. 

— Updated: 20/02/2018 — Total visits: 21,807 — Last 24 hours: 62 — On-line: 0
Pular para a barra de ferramentas