A difusão (distributismo, distributivismo) de bens e a necessidade de controle subjetivo, com base no trabalho pessoal, admite um grande campesinato, operários associados em unidades autogeridas e sujeitas ao bem comum (planejamento participativo) ou estatais com co-gestão, artesãos, autônomos, profissionais liberais, empreendedores e todo tipo de pequenos proprietários (moradia própria etc), com amplos controles públicos.

Comentários estão fechados.

Pular para a barra de ferramentas