A auditoria popular da dívida pública interna e externa é outro ponto-chave.

A Igreja participou do Tribunal da dívida externa, em abril de 1999, no Rio de Janeiro, onde foi demonstrado que a dívida pública foi feita de forma ilegal e iníqua.

A CNBB também participou do plebiscito de 07.09.2002, onde cerca de seis milhões de pessoas votaram contra o pagamento da dívida e deixaram claro que o orçamento público deve ser dirigido, como todos os bens públicos e privados, para atender às necessidades sociais, especialmente dos mais oprimidos.

A dívida pública estava em cerca de 1,4 trilhões de reais, em março de 2008. Vários bilhões são gastos com seu giro, enquanto que o gasto com educação e saúde pública fica em torno de 4% do PIB.

Hoje, uns 500 bilhões vão para basicamente dez mil parasitas, ultra ricos, rentistas sanguessugas. 

Comentários estão fechados.

Pular para a barra de ferramentas