Pio XII, na alocução de 10.06.1955 ao IV Congresso Internacional do Petróleo, destacou que “as riquezas naturais de uma região, de um país, de um continente, estão destinadas não só ao proveito econômico de um pequeno número, e sim ao melhoramento das condições de vida materiais, em primeiro lugar, mas também, e sobretudo, morais e espirituais”, do povo.

Friso que a mesma lição sobre petróleo vale para os outros minerais, como ferro, cobre e outras riquezas naturais, feitas, por Deus, para o bem de todos.

O velho Osny Duarte Pereira, um grande Desembargador, deixou ótimas obras sobre Direito Minério e Direito Florestal, na mesma linha, elogiando a doutrina de Pio XI, na “Quadragesimo anno” (1931) – os bens que atribuem muito poder devem ser do Estado ou de grandes cooperativas. 

Comentários estão fechados.

Pular para a barra de ferramentas