A influência e mesmo hábitos religiosos em grandes socialistas, inclusive Marx, Engels, Lenin, Stalin e Trotski

Lênin recebeu o batismo ortodoxo e casou-se inclusive com os ritos religiosos ortodoxos.

Marx, em 1843, realizou seu casamento no civil e perante uma igreja luterana.

Engels, quando sua esposa de fato estava morrendo, Lizzie Burns, no leito de morte desta, em 1878, chamou um sacerdote e casou-se com a padecente e providenciou inclusive o enterro da esposa católica, num cemitério católico, em Londres. Até Trotski teve seu primeiro casamento celebrado por um rabino.

As biografias praticamente escondem que Engels foi casado com duas católicas, duas irmãs, primeiro com uma e depois com a outra, após o falecimento da primeira. 

E destaco que o mesmo aconteceu no primeiro casamento de Stalin, celebrado por um padre da Geórgia, antigo colega de seminário de Stalin. Stalin estudou em escola religiosa no ensino médio e depois passou uns seis anos no seminário, só saindo no último ano, com praticamente toda a formação como padre ortodoxo da Geórgia, bem próxima do catolicismo. 

A esposa de Lênin tornou-se socialista devido a influência do tolstoismo, de Tolstoi, uma corrente anarquista profundamente cristã.

Estes aspectos (especialmente as expressões religiosas usadas em suas cartas particulares) de Lênin são ocultados pela literatura estalinista.

É certo que Lênin, tornou-se ateu e, tudo indica, morreu desta forma, mas em sua formação, em suas idéias e textos existem fortes elementos cristãos. Nas memórias de sua esposa, consta que mesmo no Natal do ano anterior de sua morte, ele participava das festas natalinas, montava sua árvore de Natal etc. A festa de Natal sempre foi celebrada na casa de Marx e, principalmente, na casa de Engels.

Engels amava a Festa de Natal, fazendo os bolos da Renânia, bebendo vinho renano, recebendo convidados etc. 

Comentários estão fechados.

Pular para a barra de ferramentas