Economia mista é salutar

Toda empresa tem cinco grandes despesas: a folha (os gastos com trabalhadores, mas aí entra o pro labore do dono, às vezes), os juros, os impostos, os dividendos e os investimentos. Já ouvi dados que os lucros são cerca de vinte por cento do faturamento da empresa. O lucro é próximo dos gastos com a folha. A estrutura empresarial contém a forma de exploração dos trabalhadores. O Estado deveria regulamentar as estruturas por ramos e tamanhos, diferenciando, caso a caso. E deveria estatizar os bancos, para prover as empresas de juros baratos, ou apenas empréstimos com taxas de administração. Da mesma forma, deveria impor a participação dos trabalhadores nos lucros e assegurar jornadas pequenas e boas remunerações. Controle dos preços é também essencial, ponto que Galbraith destacava. 

Comentários estão fechados.

Pular para a barra de ferramentas