São Tomás Morus, padroeiro dos políticos e da Democracia Popular Participativa

São Tomás Morus é o padroeiro dos políticos e também de um Estado democrático não-capitalista, de uma República popular, de uma Democracia Popular Participativa. Morus escreveu o livro “Utopia”, em 1516, obra lida e apreciada por Marx. Marx chegava ao ponto de adotar como apelido familiar seu, o nome de Morus, que significa Mouro. No fundo, a teoria cristã sobre o poder defende os direitos do povo. Este é o núcleo do “populismo” católico, da tradição anticapitalista da Igreja, atacada por reacionários como Roberto Romano, no livro “Brasil; Igreja contra o Estado. Populismo católico” (Ed. Kairós, 1979).

Comentários estão fechados.

Pular para a barra de ferramentas