Arquivos para : A “Fórmula” Chesterton: Distributismo – destinação universal dos bens, apoio estatal aos micros e pequenos E um grande Estado social e econômico, do povo

A lição distributista de Pio XI: Deus fez os bens para todos fruírem, para erradicar a miséria

Pio XI destacou bem que, Deus fez os bens para todos:

os bens devem ser em tanta quantidade, quanta é necessária, assim para satisfazer às necessidades e honestas comodidades, como para elevar os homens àquela condição de vida mais feliz, que, obtida e gozada de modo regrado e prudente, não só não é de obstáculo à virtude, mas até a favorece poderosamente” (cf. “Quadragesimo Anno” e n. 52 da “Divini Redemptoris”).

Pequena síntese do Distributismo de Chesterton e Alceu, dois ótimos católicos sociais

A difusão (distributismo, distributivismo) de bens e a necessidade de controle subjetivo, com base no trabalho pessoal, admite um grande campesinato, operários associados em unidades autogeridas e sujeitas ao bem comum (planejamento participativo) ou estatais com co-gestão, artesãos, autônomos, profissionais liberais, empreendedores e todo tipo de pequenos proprietários (moradia própria etc), com amplos controles públicos.

— Updated: 19/09/2018 — Total visits: 35,466 — Last 24 hours: 119 — On-line: 0
Pular para a barra de ferramentas