Assessor de Moro diz frase racista: “o Brasil era pobre, preto e prostituta” antes de Sérgio Moro.

A afirmação racista é do chefe da equipe de assuntos legislativos do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Vladimir Passos de Freitas, feita durante palestra sobre a relação entre o Legislativo e o ministério; a declaração vem uma semana depois do presidente Jair Bolsonaro dizer em entrevista que “racismo é raro” no Brasil

13 de Maio de 2019 às 21:30

247 – Uma semana após o presidente Jair Bolsonaro dizer em entrevista que “racismo é raro” no Brasil, o chefe da equipe de assuntos legislativos do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Vladimir Passos de Freitas, disse em sentido pejorativo que “o Brasil era pobre, preto e prostituta” antes de Sérgio Moro.
A declaração foi dada por Freitas nesta segunda-feira (13), durante palestra sobre a relação entre o Legislativo e o Ministério da Justiça. Segundo ele, a Lava Jato mudou o Brasil e isso só aconteceu pela determinação de Sergio Moro.

“Um homem que consegue levar a Lava Jato até o fim, que muda o Brasil do ponto de vista penal tem muita força interior. Antes dele o Brasil era pobre, preto e prostituta. O equilíbrio psicológico de uma pessoa dessa [Moro] merecia uma tese de doutorado”, declarou Freitas, que é desembargador federal aposentado. A informação é do Portal Paraná.

Please follow and like us:

Comentários estão fechados.

— Updated: 23/05/2019 — Total visits: 51,540 — Last 24 hours: 99 — On-line: 1
Pular para a barra de ferramentas