Destinação universal dos bens, cf. João Paulo II

João Paulo II ensinou, em seus discursos no Brasil (em 30.06.1980 e 10.07.1980), que “o acesso de todos” aos bens (inclusive ao poder) “constitui” “condição indispensável da liberdade e criatividade do homem, aquilo que lhe permite sair do anonimato e da alienação” e “colaborar com o bem comum”.

Para este fim, o papa ressaltou a necessidade de “reformas audazes”.

Como ensinava Santo Tomás, “difundir-se é próprio da natureza do bem” (“bonum dicitur diffusivum sui est”).

Comentários estão fechados.

— Updated: 13/02/2020 — Total visits: 63,709 — Last 24 hours: 36 — On-line: 0
Pular para a barra de ferramentas