GENOCÍDIO CONTINUA

GENOCIDIO CONTINUA – 91% da população está exposto ainda

e tem uma variante da India que não adianta algumas das vacinas….

Só 17% foram VACINADOS com 1 dose. 

Nem 10% dos 220 milhões foram vacinados com 2 doses. 

E 47% dos idosos com mais de 80 anos só tiveram UMA DOSE.

Ou seja…..91% da população pode MORRER vitimado.

GENOCÍDIO DO BELZESEBOSO…

Jubileu, Anulação das dívidas, cancelamento das dívidas. Projeto divino

Um Jubileu para as dívidas externas e interna e para erradicar o super endividamento das pessoas, para libertar milhões de pessoas do cativeiro das dívidas.

Para erradicar a miséria, é preciso um Jubileu, uma união de nações pobres para pressionar e anular toda ou quase todas as dívidas do Terceiro Mundo. A Congregação para a Doutrina da Fé, pelo Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral”, redigiu o documento “Oeconomicae et Pecuniariae Quaestiones” – “Considerações para um discernimento ético sobre alguns aspectos do atual sistema econômico-financeiro” (Brasília, Ed. CNBB, 2018), onde está escrito:

“Mesmo que o bem-estar econômico global tenha certamente crescido ao longo da segunda metade do século XX, com uma medida e uma rapidez nunca experimentada antes, ocorre, porém, constatar que, ao mesmo tempo, aumentaram as desigualdades entre os vários países interna e externamente. Além disso, continua a ser desmedido o número de pessoas que vivem em condições de extrema pobreza. A recente crise financeira poderia ter sido uma ocasião para desenvolver uma nova economia mais atenta aos princípios éticos e para uma nova regulamentação da atividade financeira, neutralizando os aspectos predatórios e especulativos, e valorizando o serviço à economia real”.

É preciso cancelar as dívidas externas e também as internas, ou pelo menos, repactuar, eliminando quase tudo. Idem para o super endividamento pessoal, como defendeu Sanders ou mesmo Ciro Gomes e o PT, no Brasil. Um Jubileu é a esperança para mover a economia, sem crises, para libertar milhões de cativos de dívidas.

62 ultra ricos têm o mesmo que 3,5 bilhões de pessoas pobres. Trecho ótimo de Francisco I, numa boa entrevista, em 2018.

A Doutrina social da Igreja quer abolir latifúndios, grandes fortunas privadas, trustes e cartéis privados, toda forma de oligopólio e monopólio privado, toda forma de exploração do trabalho e das pessoas.

No livro de Dominique Wolton, “Papa Francisco, o futuro da Igreja” (Rio de Janeiro, Ed. Petra, 2018, p. 53), há o seguinte trecho, da lavra de Francisco I

“No mundo de hoje, 62 ricos possuem sozinhos a mesma riqueza de 3,5 bilhões de pobres. No mundo de hoje, 871 milhões de pessoas passam fome e 250 milhões de migrantes não têm onde ir, não têm nada.

O tráfico de drogas hoje faz circular cerca de trezentos bilhões de dólares. E, nos paraísos fiscais, estimamos que “flutuem” 2,4 trilhões de dólares, circulando de um lugar a outro”.

 

O Bozo recusou 758 milhões de doses de vacina em 2020…

Recusou 160 milhões da Butantan Sinovac, 138 milhões da OMS Covax, 100 milhões da Sputnik, 100 milhões da Pfizer, 200 milhões da Johnson, 20 milhões da Moderna e 20 milhões da Bharat.

Impeachment é pouco. 

Bozo somente queria a AstraZeneca, mas recusou também 200 milhões de doses da AstraZeneca,

O Cristianismo foi o precursor das melhores ideias do socialismo democrático moderno.

O Cristianismo foi o precursor das melhores ideias do socialismo democrático moderno.

 O cristianismo foi o precursor do socialismo, pelo movimento do socialismo utópico, o socialismo cristão pré-marxista.

Assim, fica claro que, mesmo no bojo do socialismo marxista, há elementos cristãos, tal como há nas outras correntes socialistas.

Afinal, o precursor e o movimento subsequente têm, por força, elementos comuns e, por isso, a antecedência é considerada como precursora. O próprio “marxismo” é um conjunto de ideias misturadas, sendo as melhores, de origem cristã (vide Dussel e Miranda). 

 Por esta forma, por via oblíqua e às vezes explícita, grandes marxistas reconheceram a prioridade dos ensinamentos cristãos.

Reconheceram implicitamente que no bojo do que se chama socialismo/comunismo há uma porção de ideias cristãs, oriundas do socialismo utópico e do movimento democrático universal, quase todo movido por ideias cristãs e hebraicas.

 Um exemplo basta para provar a existência destes elementos cristãos e racionais e naturais: a máxima “a cada um de acordo com suas necessidades”, que é o princípio mais importante para Marx de uma sociedade comunista consta expressamente duas vezes no livro “Atos dos Apóstolos” (capítulos 2 e 4) como característica (princípio dirigente) que distinguia as comunidades cristãs, a marca específica de uma sociedade cristã. Vejamos os textos do livro “Atos dos Apóstolos” (2,44-45; e 4,32):

 “Todos os que tinham abraçado a fé reuniam-se e punham tudo em comum: vendiam suas propriedades e bens, e dividiam-nos entre todos, segundo as necessidades de cada um” (At 2,44-45);

“A multidão dos que haviam crido era um só coração e uma só alma. Ninguém considerava exclusivamente seu o que possuía, mas tudo entre eles era comum” (At 4,32); e

“Não havia entre eles necessitado algum. De fato, os que possuíam terrenos ou casas, vendendo-os, traziam os valores das vendas e os depunham aos pés dos apóstolos. Distribuía-se então, a cada um, segundo a sua necessidade”.

 A fórmula “a cada um de acordo com suas necessidades” é expressamente bíblica. Idem para “de cada um de acordo com suas capacidades” (poder). E idem para comunhão de bens, que não significa eliminar a pequena propriedade pessoal, e sim amplo setor público de apoio às pessoas, para estas, um dia, pintarem, outro plantarem e terem as ações produtivas que entenderem, nos limites do bem comum. Foram textos de Saint Simon, Luis Blanc, Weitling e outros, que estes colheram na Bíblia. 

As ideias éticas do “Atos dos Apóstolos”, que narra os primeiros 30 anos da Igreja (de 33 a 63 d.C.), são claras: “não havia entre eles necessitado algum”; tinham “um só coração e uma só alma”; dividiam tudo “entre todos, segundo as necessidades de cada um”; “tudo entre eles era comum”; e distribuíam “a cada um, segundo a sua necessidade”. Estas ideias formam o núcleo do ideal do bem comum e do que há de bom nas ideias democráticas e socialistas.

 A comunhão de bens não é a estatização dos bens, e sim a titularidade (o controle) pela sociedade de todos os bens, inclusive do poder, para que todos tenham os bens necessários e suficientes para uma vida digna. Fomos criados para sermos co criadores, co governantes, co redentores, para a divinização, por participação na natureza divina, Deus habitando em nós, como base de ótimo diálogo interno, pessoal e social. 

 Deus deu os bens todos à humanidade, para que a sociedade organizasse a distribuição e o controle, de acordo com as necessidades de cada pessoa. E para que todos controlassem os bens (pelo trabalho desalienado), como está claro no “Genesis” (1,26-29). Os bens foram criados para que as pessoas pudessem povoar, multiplicar e controlar a terra, todos os bens. Moisés, que ouvia a voz de Deus e do povo, explicou bem estes pontos.

O exemplo do socialismo escandinavo é o melhor exemplo para o Brasil. Brasil deveria ser como uma grande Dinamarca, igualitário, pacífico

Nos países escandinavos, na Irlanda, na parte mais ocidental da Europa, nos países bálticos e na América do Norte e Central, o quadro está bem clarificado.

Os católicos votam na esquerda ou na centro esquerda, em partidos pró-socialismo democrático, trabalhistas ou de Democratas de esquerda.

Nos cinco países escandinavos, os Partidos Trabalhistas têm votos católicos (especialmente na Noruega) e são filiados na Aliança Progressista.

Nestes países, acredito que há os melhores exemplos de um bom socialismo democrático, especialmente Dinamarca e Noruega, dois países campeões de maior IDH e igualdade (índice Gini e outros) do mundo.

Os católicos, no Reino Unido, votam mais no Partido Trabalhista (o Labour) e com autorização papal, desde início dos anos 30, há quase cem anos. Na Irlanda, os leigos católicos mais combativos votam no Sinn Fein e no Partido Trabalhista, partidos filiados na Aliança Progressista.

O Partido Democrático dos EUA e o Partido Trabalhista do Reino Unido são filiados também na Aliança Progressista e é até a tradição o voto católico nestes partidos. Os Democratas dos EUA têm quase sempre o voto negro, dos professores, dos enfermeiros, dos ambientalistas, dos católicos, da parte mais combativa dos chicanos e dos judeus de esquerda trabalhistas (que votam, em Israel, no Partido Trabalhista ou em partidos associados destes).

Os leigos católicos mais lúcidos, na Suíça, votam no Partido Socialista. Idem para França, Espanha e Portugal. O mesmo para o Partido Social Democrático, na Áustria, sendo quase tradição desde cem anos. Todos estes partidos socialistas são filiados na Aliança Progressista.

No Canadá, quase todos os partidos são de centra esquerda. Os católicos no Canadá votam no Bloco de Quebec, ou no Novo Partido Democrático, filiados na Aliança Progressista. Mesmo o Partido Liberal é meio de esquerda, centro esquerda.

Os católicos da Itália votam no Partido Democrático, também filiado e lutam por uma República fundada no trabalho, como diz o artigo número um da Constituição italiana.

Em 200 países há milhares de partidos políticos. Mas, os maiores, são uns 250 partidos. Destes, 160 partidos socialistas democráticos e trabalhistas têm programas semelhantes ao conteúdo da Doutrina Social da Igreja

Resumo do Quadro político mundial, com os partidos políticos que existem no mundo e sua classificação política.

 Há cerca de 200 países no mundo, com cerca de 7,9 bilhões. Por alguns critérios, podia ser elevado para 210 países. Filiados na ONU, há 193 países. Destes, há alguns de tamanho ínfimo. Na Europa há 50 países. Na África, há cerca de 50, entre 47 e 55 países. Na Ásia, há 49 países. No Continente Americano, 36 países. Na Oceania há 14 países. Somando, chega a 204.

 Examinando estes países, em praticamente todos há estruturas democráticas, mesmo que fracas, insuficientes. A exceção são países como Arábia Saudita, Coreia do Norte etc.

 A média de partidos por país fica em torno de quatro, mas podia ser mais. Só no Brasil há 33 partidos políticos e mais uns 40 partidos em gestação. Não é correto haver um partido somente. Na índia, há milhares de partidos, pois há partidos regionais. A Índia tem mais habitantes que toda a África (pouco mais que um bilhão), ou mais que todo o Continente americano (pouco mais que um bilhão de habitantes).

 A natureza humana é pessoal e social, sendo normal haver variações de opiniões, de projetos. Tal como é normal católicos se filiarem em partidos socialistas democráticos, que sejam humanistas (pautados pelos direitos humanos).

 No mundo, há milhares de partidos políticos. Mas, relevantes e grandes, há em torno de 250 partidos. Estes partidos se organizam em várias Internacionais e Conferências mundiais e regionais de partidos.

 Conclusão: nos partidos socialistas democráticos e trabalhistas há as ideias que mais se aproximam, pela similitude, com as ideias da doutrina social da Igreja.

Estas ideias são agrupadas com nomes gerais como progressismo, trabalhismo, socialismo democrático, keynesianismo, eco socialismo, social democracia, Estado do bem-estar social, Estado social, populismo de esquerda, socialismo africano etc.

Há milhares de partidos políticos no mundo. Os católicos devem se filiar em partidos socialistas democráticos e trabalhistas

Há cerca de 200 países no mundo, com cerca de 7,9 bilhões. Por alguns critérios, podia ser elevado para 210 países. Filiados na ONU, há 193 países. Destes, há alguns de tamanho ínfimo. Na Europa há 50 países. Na África, há cerca de 50, entre 47 e 55 países. Na Ásia, há 49 países. No Continente Americano, 36 países. Na Oceania há 14 países. Somando, chega a 204.

 Examinando estes países, em praticamente todos há estruturas democráticas, mesmo que fracas, insuficientes. A exceção são países como Arábia Saudita, Coreia do Norte etc.

 A média de partidos por país fica em torno de quatro, mas podia ser mais. Só no Brasil há 33 partidos políticos e mais uns 40 partidos em gestação. Não é correto haver um partido somente. Na índia, há milhares de partidos, pois há partidos regionais. A Índia tem mais habitantes que toda a África (pouco mais que um bilhão), ou mais que todo o Continente americano (pouco mais que um bilhão de habitantes).

 A natureza humana é pessoal e social, sendo normal haver variações de opiniões, de projetos. Tal como é normal católicos se filiarem em partidos socialistas democráticos, que sejam humanistas (pautados pelos direitos humanos).

 No mundo, há milhares de partidos políticos. Mas, relevantes e grandes, há em torno de 300 a 400 partidos. Estes partidos se organizam em várias Internacionais e Conferências mundiais e regionais de partidos.

 Conclusão: nos partidos socialistas democráticos e trabalhistas há as ideias que mais se aproximam, pela similitude, com as ideias da doutrina social da Igreja. Estas ideias são agrupadas com nomes gerais como progressismo, trabalhismo, socialismo democrático, keynesianismo, eco socialismo, social democracia, Estado do bem-estar social, Estado social, populismo de esquerda, socialismo africano etc.

Pular para a barra de ferramentas